O Fruto da Juçara

O fruto da juçara é usado na produção de polpa, sendo a base da produção do Açaí do Sinos, rica em nutrientes e com as quais podem fazer-se preparações doces ou salgadas.

Composição nutricional

A polpa Açaí do Sinos é um alimento equilibrado e nutritivo. Rico em minerais (cálcio e magnésio), em gorduras de ótima qualidade (mono e poli-insaturadas) e em antocianinas, um composto fitoquímico responsável pela sua cor roxa, que atua como antioxidante no corpo humano, prevenindo doenças cardiovasculares e degenerativas. Seu teor de fibras auxilia no bom funcionamento do intestino.
100g de polpa do fruto  da Juçara = 60kcal
Com relação aos minerais, os teores de ferro, potássio e zinco do fruto da juçara foram 70,3%, 65,7% e 20,8%, respectivamente, superior ao encontrado no açaí do Norte.

Elementos minerais

Espécies
Fósforo
(g/kg)
Potássio
(g/kg)
Cálcio
(g/kg)
Magnésio
(g/kg)
Ferro
(mg/kg)
Zinco
(mg/kg)
Cobre
(mg/kg)
Manganês
(mg/kg)
Açaí
1,4a
7,4b
4,8a
1,4a
328,5b
10,1b
20,4a
34,3a
Fruto da juçara
0,8b
12,1a
4,3a
1,5a
559,6a
12,2a
14,0b
43,4a
Fonte: Ceplac/Cepec/Sefis, 2004

O fruto da juçara também apresentou conteúdo de açúcares totais e gorduras maiores do que o açaí do Norte e, consequentemente, maior valor energético. Porém, as gorduras presentes em ambos os produtos são as chamadas "gorduras boas", compostas por ácidos graxos insaturados, que muitas vezes, podem ser capazes de reduzir o colesterol no sangue. Em testes de degustação, foi observado que os participantes acharam mais doce o suco com o fruto da juçara e o preferiram em relação ao outro.
A cor roxa escura dos frutos da juçara é devido à presença de antocianinas. As antocianinas podem ser utilizadas como corantes naturais e apresentam grande potencial farmacológico, que incluem propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, inibição da oxidação do colesterol LDL, diminuição dos riscos de doenças cardiovasculares e de câncer.
Na dieta humana, as principais fontes de antocianina são as frutas, como: o fruto da juçara, o açaí, a ameixa, a amora, a cereja, o figo, a framboesa, a uva, a maçã, o morango e a acerola; e os vegetais, como: o repolho roxo, a batata roxa, a berinjela, etc. O fruto da juçara apresenta quantidades superiores de antocianina comparada a outras frutas tropicais e de teores semelhantes e, às vezes, até superior ao açaí do Norte.

A Palmeira Juçara

A palmeira juçara (Euterpe edulis – Arecaceae) é uma espécie de extrema importância para a biodiversidade da Mata Atlântica. Seus frutos servem de alimento para mais de 70 espécies de animais e aves, sendo considerada espécie chave para a conservação de florestas no Bioma. O alto valor comercial do palmito faz dele um dos produtos florestais mais explorados há séculos, e para sua obtenção é necessário o corte da palmeira. Devido ao extrativismo predatório e ilegal do palmito, a planta é cortada antes mesmo de se reproduzir, causando um grande impacto na regeneração natural. Hoje, a espécie passa por um momento crítico pela expressiva redução de suas populações naturais e está incluída na lista oficial de espécies ameaçadas de extinção (MMA, 2008).
A palmeira juçara e a dispersão de suas sementes garante a presença de avifauna e das condições específicas para sua ocorrência (umidade, sombra e calor), promove, junto com ela, a preservação e ampliação de seu habitat natural, a Mata Atlântica. A preservação e recuperação deste bioma asseguram o seu papel ecológico de regulação do fluxo dos mananciais, manutenção da fertilidade do solo, fixação de carbono, proteção das encostas das serras e alta variabilidade genética.

Fonte: http://www.projetojucara.org.br/